terça-feira, 5 de junho de 2007

Let's Do The Time Warp Again!

Rocky Horror Picture Show





Eu tenho uma vasta lista de filmes preferidos, mas devo dizer que, até o último Natal, nenhum musical fazia parte dela. É verdade que praticamente todos os desenhos da Disney são musicais e eu sempre gostei deles, mas em se tratando de filme com gente, com atores de verdade... Olha, essa história de surgir uma banda de fundo e os atores começarem a cantar e dançar - do nada! - não fazia o menor sentido para mim.

Eu até fui assistir "O Fantasma da Ópera" no Teatro Abril, em São Paulo. Achei uma puta produção, os cenários, o figurino, os artistas, ... Mas um saco aquela história da peça ser cantada do começo ao fim. Talvez, se fosse hoje, eu tivesse achado tudo diferente. Ou não, a história do Fantasma é meio chatinha mesmo.

Acontece que, no Natal do ano passado, eu resolvi comprar para a minha a Cris, minha mãe, o filme favorito dela de todos os tempos: Rocky Horror Picture Show. Trata-se de um filme que ela viu na década de 70, quando ainda morava na África do Sul, e que foi censurado logo que ela o viu pela terceira vez. Tiraram o filme de cartaz por considerarem-no impróprio, imoral - e isso porque, segundo ela, algumas das cenas originais já haviam sido cortadas antes de irem às salas de exibição do país.

Enfim, comprei o DVD. No entanto, um ano antes, meu pai já havia lhe dado esse mesmo filme. Pois é, que chato. Pra piorar, eu o comprei pela internet com quase 1 mês de antecedência (logo, o prazo de troca já havia expirado há muito tempo). Diz ela que eu já sabia da existência dele lá em casa, e que ela, inclusive, já havia me chamado para assisti-lo e eu teria recusado, alegando "não suportar musicais". E não suportava mesmo, até assisti-lo pela primeira vez.

Era a semana depois do Natal. Flávia e o namorado estavam lá em casa, e nós quatro (os dois, Cris e eu) resolvemos assistir o filme. Nos apaixonamos. Já perdi a conta de quantas vezes assisti, mas certamente foram mais de 10 (isso sem contar as vezes em que vi apenas alguns trechos ou músicas favoritas - segundo o Thiago, assistir cenas isoladas rotineiramente é o primeiro passo para o vício em musicais).
Sabe, cada vez que você assiste, repara num novo detalhe ao qual você ainda não havia dado atenção. É impressionante como existem mensagens implícitas.



Falando no Thiago, mostrei-lhe o filme há alguns meses e ele tornou-se (também) um grande fã. Ele e muitos amigos meus, que sempre garantem odiar musicais mas acabam adorando.

O filme é uma sátira aos filmes de terror e ficção científica da década de 70, e aborda temas como a criação de vidas em laboratórios, nazismo, homossexualismo, virgindade, promiscuidade, rock n' roll, extraterrestres, nado sincronizado, assassinatos, culto ao corpo, drogas, viagem no tempo e no espaço, casamento, traição e outras loucuras - isso sem mencionar o típico narrador comumente presente nos seriados da época (no melhor estilo Jack Palance). Tudo isso em apenas 99 minutos.

Feito em 1975, conta com Susan Sarandon e Tim Curry (muito novinhos) no elenco, além de uma participação especial do rockeiro Meatloaf, no papel de Eddie.
Curiosidade: o autor Richard O' Brien atua no filme como Riff Raff, o handyman de Dr. Frank n' Furter.

Não é muito fácil encontrá-lo em locadoras, mas é possível encontrar algumas cenas mais importantes no Youtube.

O filme foi baseado na peça Rocky Horror Show (sem o Picture, referente ao filme), que fez muito sucesso na Inglaterra e no mundo todo. Até hoje existem fãs que vão assistir à peça e a sessões onde o filme é exibido caracterizados como as personagens da história, como se pode ver nessa referência feita ao espetáculo no seriado norte-americano The Drew Carey Show, em que fãs do Rocky Horror e fãs de Priscilla, a Rainha do Deserto têm uma disputa musical sobre qual filme/espetáculo é melhor.



Acontece que hoje eu cheguei mais cedo ao trabalho e, junto aos panfletos de divulgação de eventos culturais de Niterói e arredores, estava a progração cultural do mês de Junho da Associação Médica Fluminense da Unimed, quando eu me deparei com isso:



Vocês fazem alguma idéia do que isso significa?
Gente, é a realização de um sonho impossível! É a mesma sensação que eu tive quando soube que Os Mutantes tinham voltado (ainda que sem a Rita Lee) e fariam um show no Rio!
Eu estou tão feliz com isso que nem sei, viu?

O grande problema é que a apresentação única será numa terça-feira a noite, ou seja, não só não terei companhia como também terei de matar aula.
Mas acho que uma oportunidade assim não deve ser desperdiçada de forma alguma. Estarei lá, se Deus quiser!


Para quem ainda não conhece, não vou dizer que é imperdível: uma pessoa pode perfeitamente passar sem assisti-lo. Mas a vida dessa pessoa certamente nunca terá a mesma graça... Eu mesma passei a me sentir bem mais feliz após conhecê-lo.

Mãe, você tinha toda a razão. Obrigada por ter insistido para que eu o assistisse: é realmente sensacional!

Ah, para que saibam como resolvemos o impasse do DVD... Hoje em dia eu fico com um na minha casa, e ela com o outro na dela ;)





Para quem é fã ou quem quer conhecer, separei três links interessantíssimos:
Este aqui é um jogo chamado The Time Warp. Consiste em usar o teclado para seguir a dança mais famosa do musical.
Este aqui é uma versão que o site Angry Alien fez com coelhinhos, em que o filme todo é contado em apenas 30 segundos. Divertidíssimo, vale a pena! Detalhe para a boca-logotipo do filme, que tem apenas dois dentinhos de coelho!
E neste site aqui você vê como eram os atores principais na época em que o filme foi feito e como eles são hoje em dia.

7 comentários:

Thiago disse...

Poxa vida, queria MUITO assistir ao espetáculo, é uma pena mesmo eu não poder ir. Mas tenho esperanças de que haverá bis (de preferência numa data razoável).
Enquanto isso RHPS fica na minha lista de filmes que eu gostaria de ter sempre à mão para assistir quando quiser. Sem o dvd, vou me resolvendo com o You Tube mesmo.

Já sobre o blog, boa sorte com a retomada das postagens e em suas investidas no html. Quem sabe, com isso, eu também me anime novamente e ressucite meu hambúrguer abrasileirado?

Felipe Cruz disse...

To curioso para ver o novo layout anos 50 do seu blog!!! uhuuu!!! A proposito em se tratando de filme trash, o melhor é A Morte do Demônio.

Felipe Cruz disse...

Entre os filmes musicais bons tem o Moulin Rouge. Com relação a peças teatrais assista "A Opera do Malandro" é espetacular!!!! Fantástico. Uma vez eu escrevi uma critica sobre a ópera lá meu blog. (http://dtdnews.blogspot.com/2004/04/um-final-de-semana.html)
E sobre filmes clássicos censurados tem tbm Laranja Mecânica, que foi proibido de passar no Brasil durante a ditadura. Aliás, Laranja Mecânica tbm foi probido de passar em Londres tbm.

Felipe Cruz disse...

Tbm tive uma sensação dessas de novidade quando fiquei sabendo do show do The Doors (lógico, que sem o jim morisson)... E lógico que fui ao show...

ROCKY HORROR disse...

OLAAAAA ..
venho aqui informar
q ontem (dia 19) foi a ESTREIA do espetaculo! Continuará no AMF ate dia 31 d Julho. Todas as terças, às 21 hras!
Temos uma comunidade e um perfil no orkut.
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=5290487 ;
http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=11694696779260956920
Qq informaçao fala la com a gente!
grande bjo. E ...
Let´s do the time warp agaaaaaaaaaaaain !!!!!!!!!!!

Felipe Cruz disse...

Novas novidades!!
Thais, depois escuta minha primeira transmissão do PodCast. No link: http://www.dtdnews.blogspot.com

Felipe Cruz disse...

Sem querer acabei sendo um dos últimos a entrevistar Joel Silveira, O maior Repórter do Brasil, pouco menos de um mês antes de sua morte. A entrevista está publicado, inclusive com áudio, no meu blog: www.dtdnews.blogspot.com
Confere lá!