quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Rock n' roll all night

Na noite passada, sonhei que o KISS faria um show no Brasil.
O sonho deve ter sido bem longo, afinal, deu tempo de sonhar com a divulgação, com a venda de ingressos, comigo pedindo dinheiro emprestado para ir ao show, com o concerto em si (ma-ra-vi-lho-so) e até com a interrupção do mesmo graças a policiais que prenderam 2 dos membros (não me lembro agora quais).

Resolvi, então, falar sobre essa que é uma das minhas bandas preferidas desde a adolescência.

O KISS já mudou de formação umas trezentas vezes, já usou maquiagem (a ponto de os membros não se deixarem fotografar sem ela), deixou de usar, voltou a usar de vez em quando, um dos membros ganhou um Reality Show e, entretanto, seja qual for a formação ou período, nunca perdeu sua essência: heavy metal de altíssima qualidade.

A banda foi fundada por Gene Simmons (Baixo e Vocal) e Paul Stanley (Guitarra Rítmica e Vocal), que sentiam-se frustrados pelo fim de uma outra banda à qual pertenciam e decidiram procurar novos integrantes para a formação de uma nova banda, e os encontraram através de anúncio de jornal (Ace Frehley - Guitarra Solo e Vocal) e pela revista Rolling Stone (Peter Criss - Bateria e Vocal).

Hoje, o KISS conta com uma discografia de quase 30 álbuns. O mais recente lançamento inédito foi Psycho Circus, de 1998 (o único que fui eu mesma a comprar - todos os outros foram herdados do meu pai), e em 2001 foi lançada uma coletânea chamada Box Set.

Há muitas controvérsias quanto ao uso da maquiagem: há quem jure de pés juntos que as maquiagens dos membros da banda foram, na verdade, uma cópia da banda brasileira Secos e Molhados, teoria essa sustentada pelo próprio Ney Matogrosso, ex-vocalista da banda. Por outro lado, há quem diga que não, que foi mera coincidência. De fato, o jornalista Emilio Pacheco fez a teoria cair por terra ao fazer uma comparação cronológica entre os eventos que comprovariam o plágio.

Acredite você ou não na teoria do plágio, admita: Rock n' Roll All Nite, gravada pela primeira vez em 1975, no álbum Dressed to Kill, acabou tornando-se o hino do rock.

(como não sei tocar nenhum instrumento, arrisco-me a "tocá-la" somente no jogo Guitar Hero.)


É uma pena que tenha sido apenas um sonho. Eu adoraria ir a um show do KISS (quando eles estiveram aqui em 1999, eu tinha apenas 14 anos e meus progenitores não autorizaram).

2 comentários:

Cathwillows disse...

Oi!Que bom que gostou da fantasia! Valeu a pena ficar ridícula! hehehe
Em vinda ao blog! Gostei do seu!
E amo Kiss!

cintia sibucs disse...

eu aaaamo Kiss! me lembro do meu primo colocando o vinil deles pra tocar e eu amava ficar ouvindo...
adorei sua postagem. há rumores de que eles venham ao brasil esse ano, se vier já tem companhia, falou?!
bjsssss

obs.: te adicionei na minha lista ;]